>>>No CFM, ANAMT reforça discordância à Resolução 2219/2018

No CFM, ANAMT reforça discordância à Resolução 2219/2018


O Conselho Federal de Medicina (CFM) realizou, nesta terça-feira (02), o VII Fórum de Medicina do Trabalho, em Brasília. O evento debateu temas relevantes para a especialidade, como normas regulamentadoras, mercado de trabalho e segurança do trabalhador. A presidente da ANAMT, Marcia Bandini, participou da mesa de abertura da atividade e reforçou o posicionamento contrário da associação à Resolução CFM nº 2219/2018.

A resolução em questão abre precedente para que médicos que não prestaram a Prova de Título de Especialista, mas que tenham feito cursos de pós-graduação lato sensu, sejam reconhecidos como especialistas. A medida, para a ANAMT, atinge diretamente os médicos que seguiram as regras vigentes e obtiveram seu RQE em Medicina do Trabalho. A nota oficial da ANAMT a respeito do tema pode ser conferida aqui.

A mesa de abertura também foi composta também pela coordenadora da Câmara Técnica de Medicina do Trabalho do CFM, Rosylane Rocha, e pelo 1º vice-presidente do CFM, Mauro de Britto Ribeiro.

“A ANAMT discorda desta mudança. É uma resolução que reduz a Medicina do Trabalho e nos distancia do tratamento justo dado às demais especialidades” afirmou Marcia Bandini. “Mantemos uma relação próxima com o Conselho Federal, sempre na defesa da saúde do trabalhador e dos Médicos do Trabalho. Entendemos o posicionamento do Conselho, mas reforçamos aqui a nossa posição”.

By | 2019-07-03T17:26:23-03:00 3 de julho de 2019|Institucional|Comentários desativados em No CFM, ANAMT reforça discordância à Resolução 2219/2018