>>>Podcast ANAMT aborda redução de acidentes por material biológico

Podcast ANAMT aborda redução de acidentes por material biológico

A nova edição do Podcast ANAMT traz um resumo do artigo Efetividade de um Programa de Prevenção e Capacitação para Redução de Acidentes Ocupacionais por Material Biológico, publicado na Revista Brasileira de Medicina do Trabalho (RBMT). O episódio pode ser ouvido no player abaixo.

 

O artigo na íntegra pode visto aqui, no site da RBMT. O texto do programa está disponível abaixo:

O presente podcast é um resumo de um artigo veiculado pela Revista Brasileira de Medicina do Trabalho, ano 17, volume 3.

Título: Efetividade de um programa de prevenção e capacitação para redução de acidentes ocupacionais por material biológico.

Autores: Tatiana Verardi Pedroso Basso, Eunice Beatriz Martin Chaves, Dvora Joveleviths, Gerson Joveleviths Knijnik e Stéfani Ribeiro Rodrigues.

O texto inicia contextualizando os acidentes resultantes de exposição a materiais biológicos, que são caracterizados pelo contato direto com fluidos potencialmente contaminados sendo classificados como exposições percutâneas, em mucosas, cutâneas e mordedura/arranhadura. As exposições percutâneas são as mais comuns entre os profissionais da área da saúde, sendo mais notificados nos seguintes profissionais: técnicos e auxiliares de enfermagem, enfermeiros e médicos.

Os patógenos de maior significância epidemiológica em acidentes com material biológico são os vírus da imunodeficiência humana e das hepatites B e C. Estes são caracterizados como emergência médica e suas intervenções para possível profilaxia das infecções precisam ser iniciadas nas primeiras horas após o contato com os vírus para ter maior eficácia. Diversos estudos indicam que grande parte dos acidentes podem ser evitados a partir de medidas simples de segurança, como conscientização dos profissionais da saúde em relação aos perigos de contaminação, cuidados durante a manipulação, descarte de material potencialmente contaminado, utilização de equipamentos de proteção individual.

O estudo objetivou avaliar a efetividade de um programa de prevenção e capacitação para redução de acidentes ocupacionais por material biológico em hospital-escola a partir da incidência dos mesmos durante os oito anos de implementação do programa.

Método: Trata-se de um estudo descritivo de coleta retrospectiva de dados do banco de dados do Serviço de Tecnologia em Recursos Humanos do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Foram analisados 1.785 prontuários de funcionários do hospital que sofreram acidentes ocupacionais de exposição a material biológico, sendo incluídos nele os acidentes do tipo perfurante ou cortante e que ocorreram durante o período de estudo.

As variáveis analisadas foram a identificação pessoal do acidentado, profissão, descrição do acidente, local do acidente, tipo de contato (percutâneo, mucosa, pele íntegra e/ou pele não íntegra), risco (exposição aos vírus HCV, HBV e/ou HIV), data do acidente, momento do acidente (antes, durante ou após o procedimento) e se houve ou não relação causal com o descarte inadequado de materiais utilizados. Por descarte inadequado foi considerado o ato de não ser colocado, imediatamente após seu uso, em coletor próprio para esse fim. Foram incluídas no descarte inadequado as ações que causaram acidentes percutâneos, tais como reencapar agulhas, manipular ou usar descarpak cheio além do limite recomendável e durante a limpeza de locais.

O programa de prevenção constava de 4 etapas: 1) primeira etapa do programa: introdução do lancetador descartável e capacitações dos profissionais de saúde atuantes em enfermarias e blocos cirúrgicos. Essa etapa teve foco na conscientização de descarte de material potencialmente contaminado. 2) Na segunda etapa foi iniciado o uso da agulha vermelha com ponta romba, usada exclusivamente para o preparo de diluição de medicamentos, sem entrar em contato com material biológico. 3) A terceira etapa do programa foi o início do uso da agulha para coleta com tubo a vácuo e canhão com dispositivo para descarte, coletor plástico rígido de perfurocortante, lanceta de hemoglicoteste com disparo automático e mecanismo bloqueador de uso único e cateter endovenoso periférico com dispositivo de segurança. 4) Na última etapa do programa foi introduzida a seringa de salinização e a seringa para coleta de gasometria, sendo por fim foi iniciado o programa de capacitação teórica em forma de ensino a distância para os profissionais da área da saúde.

A análise dos dados quantitativos foi realizada por meio do teste de regressão linear, com o intuito de verificar o coeficiente angular entre o número de acidentes por ano em cada uma das profissões.

Resultados: A categoria profissional que mais se acidentou foi a dos técnicos de enfermagem, seguida pelos enfermeiros e residentes. Sendo que da etapa inicial até a etapa final do programa, as taxas de acidentes por descarte inadequado envolvendo os técnicos de enfermagem apresentaram queda de 6,4 para 1,5%.
Conclusão: Acredita-se que programas de intervenção e prevenção de acidentes ocupacionais com material biológico aumentem a conscientização sobre possíveis contaminações e possibilidades de profilaxia em profissionais da saúde. Sugere-se fortemente que programas como esse sejam implementados de forma obrigatória em todos os locais de trabalho onde os profissionais estão expostos a esse tipo de risco, com ênfase a programas específicos para médicos residentes antes e durante a prática médica hospitalar.

By | 2020-01-30T10:59:16-03:00 30 de janeiro de 2020|Institucional|Comentários desativados em Podcast ANAMT aborda redução de acidentes por material biológico