>>>17º Congresso Nacional: assédio moral no trabalho e melatonina

17º Congresso Nacional: assédio moral no trabalho e melatonina

O assédio moral no trabalho e suas repercussões na saúde dos trabalhadores e a influência da melatonina nas jornadas de trabalho foram tratados em uma semiplenária e um seminário nesta sexta (17) no 17º Congresso Nacional da ANAMT. Dr. Fernando Feijó falou das definições brasileiras para assédio moral, que incluem características como conduta abusiva, intencional, frequente e repetitiva. As formas de realizar a prática, como isolamento do trabalhador, uso de violência verbal, física e sexual, assim como mudanças nas condições de trabalho que prejudicam o desempenho foram mencionadas.

O palestrante também listou os indicadores de risco, como imposição de prazos. rigorosos e aumento de ritmo de trabalho. Dr. Fernando também apresentou dados de um estudo epidemiológico sobre o tema é pontuou o papel dos médicos do trabalho nesse contexto, como buscar reduzir fatores causadores de estresse, pensar em políticas voltadas para o tema e oferecer suporte clínico, apoio psicológico e atendimento médico aos trabalhadores.

O seminário “Melatonina, Saúde e Jornada de Trabalho” tratou do impacto do hormônio no organismo das pessoas, em especial trabalhadores de turnos noturnos. Dr. José Cipolla Neto explicou como ocorre a produção da substância, que é diretamente associada à exposição dos seres humanos à escuridão, e como a mesma desencadeia as modificações fisiológicas do corpo humano à noite. A troca de turnos de trabalho prejudica a produção do hormônio, o que pode desencadear distúrbios metabólicos e, consequentemente, doenças.

Em seguida, a Profª Frida Fischer apresentou as características das escalas de trabalho e sugestões para minimizar as perturbações biológicas e perturbações sociais do trabalho noturno, assim como medidas preventivas, como escalas de trabalho e controle de exposição à luz. Ela destacou que há diferenças na gestão do trabalho diurno e falou da importância da regulação individual.

No mesmo painel, Elaine Marqueze abordou os horários de trabalho e suas repercussões na saúde do trabalhador. Ela apontou as relações entre fatores estressores com ocorrência de doenças cardiovasculares e diabetes e supressão de melatonina. Entre os trabalhadores noturnos, a palestrante destacou que há tendência de menos horas de sono. Ao final, ela apresentou instrumentos de avaliação do impacto do sono de curta duração.

By | 2019-05-17T13:39:27-03:00 17 de maio de 2019|Eventos|Comentários desativados em 17º Congresso Nacional: assédio moral no trabalho e melatonina