>>>17º Congresso Nacional: morte no trabalho e saúde das mulheres

17º Congresso Nacional: morte no trabalho e saúde das mulheres

Na parte da tarde do primeiro dia do 17º Congresso Nacional da ANAMT, os palestrantes trataram de temas com impacto direto na produtividade e bem estar integral dos trabalhadores: a morte no trabalho e a relação das mulheres com o trabalho.

O desembargador do Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região, Dr. Sebastião de Oliveira, destacou o histórico do país com situações violentas no trabalho, como no período escravocrata, nas relações de servidão e, atualmente, nas situações de abuso de poder. Ele também listou casos de violência explicita, como acidentes de trabalho e trabalho escravo e infantil, e situações encobertas, como intimidação, assédios moral e sexual, discriminação e comportamento homofóbico.

O palestrante pontuou que as demandas por indenização por assédio no Tribunal cresceram nos últimos anos. Ele também destacou mudanças legislativas que contribuíram para a conscientização sobre e tema, como a lei do bullying (Lei nº 13.185/15), que define o tema e institui necessidade de ações de conscientização e combate sobre o assunto.

Dra. Rosane Griep, por sua vez, falou sobre Mulher e Trabalho. Ela apontou dados de pesquisa que indicam a influência da acumulação de tarefas nas esferas familiares e do trabalho na saúde das mulheres, assim como o conflito gerado pela sensação de não exercer as duas funções adequadamente.

Entre os desdobramentos dessa situação de estresse para a saúde delas, obesidade, enxaqueca, e score de saúde cardiovascular mais baixo. A palestrante destacou que, mais que benefícios para a saúde das mulheres, a igualdade de gênero contribui para o progresso socioeconômico, a convivência familiar e melhora da saúde e bem estar das trabalhadoras.

By | 2019-05-17T10:48:10-03:00 16 de maio de 2019|Eventos|Comentários desativados em 17º Congresso Nacional: morte no trabalho e saúde das mulheres