>>>17º Congresso Nacional: oficina debate atenção primária à saúde

17º Congresso Nacional: oficina debate atenção primária à saúde

A ANAMT iniciou, nesta quarta-feira (15), o seu 17º Congresso Nacional, em Brasília (DF). E uma das realizações mais importantes do evento foi a oficina de trabalho “A Saúde do Trabalhador na atenção primária: na busca da qualificação e da integralidade no cuidado”. A ação foi promovida pela ANAMT em parceria com o Ministério da Saúde e com a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS).

O objetivo da oficina era debater o papel dos Centros de Referência em Saúde do Trabalhador (CEREST) na qualificação dos serviços de atenção básica no atendimento ao trabalhador, identificando a relação entre a condição do paciente e sua ocupação. A partir deste diálogo, a expectativa é estabelecer linhas e diretrizes para desenvolver e aplicar ações ligadas à Política Nacional de Saúde do Trabalhador e Trabalhadora, bem como à Política Nacional de Atenção Básica.

Foram discutidas experiências em diferentes regiões do país – como contribuições em Saúde da Família para o fortalecimento de ações voltadas à saúde do trabalhador, atendimento para casos de exposição à sílica e o apoio técnico e pedagógico às equipes de atenção básica para o desenvolvimento de ações voltadas ao trabalhador.

“As ações dos serviços de saúde devem ser trabalhadas de forma integral e integrada para que os atores da área de saúde – seja ele quem está na atenção básica ou no CEREST – seja capaz de ver os problemas do território e identificar suas demandas reais”, explica Karla Freire Baêta, coordenadora-geral de Saúde do Trabalhador do Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador do Ministério da Saúde. “A saúde precisa responder às demandas reais do território, por isso esta oficina tem o caráter de aplicar na prática a Política Nacional de Saúde do Trabalhador e Trabalhadora, bem como a Política Nacional de Atenção Básica. Queremos ter linhas e diretrizes para efetivamente trabalhar esses pontos”.

De acordo com Nereu Henrique Mansano, assessor técnico do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS), o suporte dos CERESTs às equipes de atenção básica é fundamental. “A visão do saúde do trabalhador precisa estar presente na atenção primária, já que estes trabalhadores estão sendo atendidos majoritariamente no Sistema Único de Saúde (SUS). A oficina está sendo uma forma muito interessante de difundir experiências bem-sucedidas e interessantes”.

“Os serviços de atenção básica têm muita capilaridade”, ressalta Profª Elizabeth Dias, diretora Científica da ANAMT. “Estes serviços estão próximos dos trabalhadores e dos locais onde eles trabalham, por isso prepará-los é importantíssimo para dar atenção integral ao trabalhador”. Ela também celebrou a dimensão que o debate tomou em relação à oficina que teve o mesmo tema, há três anos. “Nossa primeira oficina sobre o tema foi no Congresso da ANAMT em Foz do Iguaçu, em 2016, e neste evento dobramos o número de participantes para este debate. Isso é um indicador importante para nós, pois mostra que estamos tratando de um ponto relevante e ao qual o poder público está atento”.

By | 2019-05-16T10:49:30-03:00 15 de maio de 2019|Eventos|Comentários desativados em 17º Congresso Nacional: oficina debate atenção primária à saúde