>>Prevalência da síndrome do túnel cubital em trabalhadores portuários de São Sebastião, São Paulo

Prevalência da síndrome do túnel cubital em trabalhadores portuários de São Sebastião, São Paulo

Introdução: Os portos brasileiros têm um papel importante na economia do país. Apesar de haver um número expressivo de trabalhadores, existem poucas pesquisas disponíveis envolvendo o ambiente portuário que relatem que as doenças musculoesqueléticas mais recorrentes correspondem as dos membros superiores, como síndrome do túnel do carpo, síndrome do manguito rotador, cervicalgia e síndrome do túnel cubital, esta definida como uma neurite causada por uma compressão do nervo ulnar no túnel cubital na região do cotovelo.

Objetivo: Estimar a prevalência sugestiva da síndrome do túnel cubital no ambiente portuário.

Método: Foram avaliados 72 trabalhadores portuários avulsos do OGMO do Porto de São Sebastião, São Paulo, por meio de um questionário semiestruturado, o exame clínico que incluiu a pesquisa de dor à palpação na região medial do cotovelo e a realização de duas manobras específicas para síndrome do túnel cubital, o teste provocativo de pressão e o teste de flexão máxima.

Resultados: A idade média foi de 48,49 anos e um tempo médio de 23,13 anos de trabalho no porto; a síndrome do túnel cubital teve diagnóstico sugestivo em cinco dos avaliados, e apenas dois trabalhadores referiam dor no cotovelo antes e três depois do início do trabalho no porto.

Conclusão: A prevalência do diagnóstico sugestivo da síndrome do túnel cubital foi de 6,9%, sendo maior entre os trabalhadores com maior tempo de trabalho (acima de um ano).

Palavras-chave | síndrome do túnel cubital; saneamento de portos; prevenção de doenças.

Leia o artigo na íntegra no site da Revista Brasileira de Medicina do Trabalho.

By | 2018-11-26T11:42:19-02:00 26 de novembro de 2018|Artigos|Comentários desativados em Prevalência da síndrome do túnel cubital em trabalhadores portuários de São Sebastião, São Paulo