>>Por que defender o SUS é importante para Médicos do Trabalho?

Por que defender o SUS é importante para Médicos do Trabalho?

Em 2018, a ANAMT deu continuidade ao processo de aprimoramento do elenco de Competências Essenciais Requeridas para o Exercício da Medicina do Trabalho, buscando adequar e consolidar conceitos, eliminar duplicações, hierarquizar as competências de modo a simplificar a matriz e facilitar sua aplicação prática. O resultado será divulgado nas próximas semanas, mas o processo de escuta dos Médicos do Trabalho trouxe algumas questões intrigantes. Uma delas diz respeito à Atenção Básica porque alguns poucos colegas entendem que o SUS não é assunto para médicos do trabalho. Será?

É compreensível que boa parte dos colegas esteja acostumado a uma organização de serviços dentro de empresas, como é o caso dos Serviços Especializados de Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT). Desenvolvido nos anos de 1970, este modelo de serviço foi muito importante para prover assistência a milhões de trabalhadores, mas apresenta sinais de esgotamento frente à globalização, fragmentação e internacionalização do trabalho. O número de empresas e de empregados por empresa vem diminuindo ao longo das décadas, levando consigo as vagas para médicos do trabalho dentro dos SESMT. Atualmente, não chegam a 3.000 o número de médicos cadastrados no Ministério do Trabalho, através do SESMT online.  O fato é o que tempo passou, o contexto mudou, a atenção à saúde dos trabalhadores foi reorganizada, incorporando cada vez mais o componente assistencial, com grandes repercussões sobre o exercício de nossa especialidade.

O acesso universal aos serviços de saúde por meio do Sistema Único de Saúde (SUS) fez com que milhões de trabalhadores brasileiros dos setores forma e informal o utilizassem. O SUS, ao incorporar o cuidado à saúde dos trabalhadores, desenvolve ações de promoção e proteção da saúde, de vigilância dos ambientes e das condições de trabalho e dos agravos, assim como a assistência e a reabilitação das doenças relacionados ao trabalho. A Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora orienta essas ações, dentro da estratégia da Rede Nacional de Atenção Integral a Saúde dos Trabalhadores (Renast), apoiada pelos Centros de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) e do crescente envolvimento da Atenção Básica.

As equipes da Atenção Básica, para cumprir bem seu papel, necessitam de apoio técnico, pedagógico e institucional qualificado, oferecido pelos NASF – Núcleos de Apoio à Saúde da Família, nos quais a participação de médicos do trabalho já se encontra prescrita, além dos Cerest e de outros pontos de atenção do SUS. E, diferente do cenário de enxugamento dos SESMT, os NASF apresentam grande potencial de crescimento de oportunidades de inserção para os médicos do trabalho. É importante reconhecer que as condições efetivas de trabalho e remuneração deixam muito a desejar, porém o espaço existe e o desfio é amplia-lo e melhorá-lo. Somente assim estaremos mais próximos de prover um cuidado qualificado ao conjunto de trabalhadores brasileiros, ou segundo a prescrição de Alma Ata – levar o cuidado resolutivo da saúde o mais próximo possível de ondes as pessoas vivem e trabalham.

Assim, defender o SUS é uma tarefa que diz respeito à ANAMT, tanto pela defesa da cidadania e da saúde como Direito, como a luta pelo espaço de atuação profissional para médicos e médicas do trabalho. Nesse sentido, a ANAMT se junta a outros segmentos da sociedade brasileira na defesa do SUS enquanto política de Estado, não de governo. Que o SUS seja celebrado como uma conquista e um direito de todos os cidadãos brasileiros. Que seja protegido do desmonte das políticas públicas e receba os recursos e aportes necessários para que cumpra seu papel na luta por condições de vida e de trabalho mais justas e equitativas. E que seja ampliado, contribuindo para que possamos ter um trabalho cada vez mais digno, saudável e seguro para todos os brasileiros e brasileiras.

Dra. Marcia Bandini
Presidente da ANAMT (2016-2019)

By | 2018-07-16T16:21:19-03:00 16 de julho de 2018|Coluna da presidente|Comentários desativados em Por que defender o SUS é importante para Médicos do Trabalho?