Cresce número de afastamentos por transtornos de ansiedade

Segundo dados da Secretaria da Previdência, nos últimos quatro anos houve um aumento de 17% nas concessões de auxílio-doença por transtornos de ansiedade – de 22,6 mil em 2012 para 26,5 mil em 2016. A ansiedade representa 20% dos casos de afastamentos por transtornos mentais e comportamentais, atrás apenas da depressão, que corresponde a 30% dos casos.

Segundo Dr. João Silvestre da Silva Júnior, diretor de Relações Internacionais da ANAMT, uma das explicações para o aumento dos quadros ansiosos incapacitantes pode ser a realidade econômica do país.

“O país está presenciando uma série de reestruturações organizacionais em virtude da crise e este cenário pode aumentar as incertezas sobre a manutenção do emprego e a sobrecarga quali-quantitativa individual de trabalho”, pondera.

O estigma sobre o trabalhador com doença mental, chamado psicofobia, degenera as relações entre colegas no ambiente de trabalho. O medo de expor o seu adoecimento pode estimular a quadros como presenteísmo e, ao longo do tempo, uma retroalimentação do quadro clínico pode levar a um agravamento da doença, com o desenvolvimento de agravos associados – como abuso de álcool ou substâncias psicoativas

Segundo Dr. João, o afastamento deve ocorrer quando o trabalhador não apresente capacidade para o desempenho das tarefas inerentes ao trabalho: “Tal repercussão pode advir dos sintomas clínicos ou efeitos colaterais do tratamento com psicofármacos”.

Depressão

A depressão atinge 322 milhões de pessoas no mundo e é a principal causa de afastamento por transtornos mentais e comportamentais no Brasil. Nas últimas décadas, autores têm descrito que novas formas de organizar o contexto e conteúdo do trabalho têm influenciado negativamente a saúde mental dos trabalhadores. Atualmente a Organização Mundial da Saúde trabalha a campanha “Vamos Conversar”, cujo objetivo é que mais pessoas com depressão, em todo o mundo, busquem e obtenham ajuda.

Os Médicos do Trabalho têm um importante papel social nesse contexto, pois podem auxiliar e identificar pessoas que sofrem com essa doença. Para o diretor da ANAMT, deve-se estimular um ambiente corporativo onde falar sobre saúde mental não seja um tabu.

“Estimular ações voltadas à promoção da saúde mental, reconhecer situações de risco relacionadas ou não o trabalho, montar uma equipe preparada para acolher trabalhadores com algum tipo de queixa no domínio mental, instituir protocolos de assistência e reabilitação, além de construir uma rede de suporte organizacional são algumas das ações requeridas em bons serviços de atenção integral à saúde do trabalhador”, afirma.

Seminário Sudeste da ANAMT

A ANAMT tem o papel fundamental de difundir o conhecimento científico aos Médicos do Trabalho por meio de eventos promovidos pela entidade. Neste ano, o Seminário Sudeste será realizado em Belo Horizonte (MG) e terá como tema central “Saúde mental: O grande desafio do Médico do Trabalho”.

Serviço:
Seminário Sudeste da ANAMT
Data: 7 a 9 de setembro de 2017
Local: Hotel Mercure Lourdes – Belo Horizonte (MG)
Informações: http://seminariosanamt.com.br/seminariosudeste/

By | 2017-07-12T17:25:31-03:00 12 de julho de 2017|Saúde no trabalho|Comentários desativados em Cresce número de afastamentos por transtornos de ansiedade